Setor de energia poupou R$ 83 bi dos seus consumidores

23/07/2019

Prime Energy
Research

Prazos, preços e volumes são negociados por empresas de médio e grande porte no mercado livre de energia. Clientes da categoria economizaram R$ 83 bilhões entre 2003 e 2007. Outra vantagem é a compra direta das geradoras e comercializadoras.

Pequenas e médias empresas, redes de comércio, shoppings e supermercados são do perfil chamado de “especial”, com consumo de 500 kW a 3.000 kW. Já os consumidores livres, também denominados “tradicionais”, ultrapassam 3.000 kW. Mensalmente, os consumidores especiais faturam R$ 150 mil, de acordo com a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel).

Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), eólica, biomassa e solar fazem parte do tipo “incentivada”, que podem ser contratadas no mercado livre por esse perfil.

Empresas como a loja de materiais de construção Leroy Merlin sentem-se atraídas pela economia possível no mercado livre de energia em comparação ao mercado tradicional. A empresa vai aderir ao modelo em 41 unidades.

A partir de relatórios feitos pela empresa, as expectativas são altas e otimistas, como aponta o gerente de patrimônio imobiliário da loja, Rajko Vojvodic. Segundo ele, novas unidades poderão nascer nessa modalidade.

Com a abertura total do mercado livre de energia, deve haver uma redução de R$ 12 bilhões por ano na conta de eletricidade no País, segundo estimativa da Abraceel, atingindo mais de 80 milhões de consumidores, incluindo residenciais e pequenas empresas.

WhatsApp