Ministro de Minas e Energia defende abertura de mercado livre

22/12/2018

Prime Energy
Research

O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, afirmou, no dia 05 de dezembro, que o sistema elétrico brasileiro se organiza para uma realidade que não existe mais, onde todos os membros, da geração à distribuição, eram públicos. A declaração foi feita na abertura do Seminário Internacional de Comercialização de Energia Elétrica, em São Paulo. E, com isso em mente, disse que “o setor tem necessidade de muita mudança”.

O evento discutiu o modelo de formação de preço por oferta e como o Brasil pode aprender com o processo de abertura do mercado nos Estados Unidos e na Europa. O ministro também apontou as vantagens para a sociedade em que o mercado é livre, pois há mais concorrência, competição, busca por melhor qualidade e preço.

No evento, também se falou de temas como formas de se ajudar as pessoas a entender suas contas e como os participantes do setor podem fazer suas análises e assumir os riscos que os agentes assumem em qualquer outro setor. E, assim, romper com o costume de transferir para os riscos ao consumidor.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) encaminhou ao MME um ofício recomendando a abertura para consumidores com demanda mínima de 2 MW. Atualmente, essa opção se restringe aos clientes que consomem ao menos 3 MW. Moreira Franco disse ser favorável a ampliar o acesso ao mercado livre de energia.

Segundo o ministro, a decisão deve ser anunciada em breve, por meio de portaria do MME. “Nós recebemos o ofício da ANEEL ontem. Evidentemente, nós vamos dar uma lida mais detalhada, tecnicamente mais consistente, para ver que passos daremos. O objetivo é esse (ampliar o acesso ao mercado livre de energia)”, reforçou.

WhatsApp