Estudo aponta um crescimento excessivo no valor das contas de energia na pandemia

Reajuste de Preço de Energia - 22/01/2021

Prime Energy
Research

Informações da pesquisa do Idec  e da ONG de Defesa do Consumidor demonstraram a dificuldade enfrentada por famílias no Brasil a partir da propagação da Covid-19. Erros na distribuição, aumento de consumo nas residências e a cobrança realizada a partir da média em determinado período compõem os principais fatores encontrados.

O Ministério Público Federal, a Aneel e os Procons serão notificados para que as empresas se expliquem e sejam penalizadas, se necessário, colaborando na solução dos problemas na comunicação e na prestação de serviço, de acordo com Igor Britto, diretor de Relações Institucionais do Idec.

No estudo realizado via formulário, divulgado nas redes sociais do Idec e nos meios locais de imprensa, 93% dos participantes indicaram um aumento notável nos valores das contas de energia e 92% não consideram proporcionais o consumo e o aumento. A pesquisa foi realizada entre os dias 21 de setembro e 23 de outubro, somando 594 respostas válidas.

Dos participantes da pesquisa, 335 tiveram que comprometer o orçamento para o pagamento da conta de luz, enquanto 157 sequer conseguiram pagá-la.

Segundo o Instituto, o valor adicional ocorreu no período de agravamento da pandemia. Nesse cenário, a cobrança foi calculada a partir do consumo dos últimos 12 meses na maior parte do País. Enquanto isso, as famílias passaram mais tempo em casa. Assim, o valor da diferença notada com a conta da leitura presencial dos medidores foi cobrado de uma só vez, principalmente entre os meses de julho e agosto.

Inúmeros consumidores tentaram encontrar respostas para a questão do aumento entrando em contato com as distribuidoras, que apresentaram atendimento insatisfatório. As empresas Light (20), Enel Distribuição São Paulo (130) e a CPFL Energia (20) foram as mais citadas.

WhatsApp